terça-feira, outubro 13, 2009

Menino só



Assim que o Anjo descer,
Hei-de sentar-me na estrada
Ao pé da hora marcada
Para o menino nascer.
E quando venha - sem mais
Porque o não quero também
Maculado -
Hei-de fitá-Lo e sorrir
Pensando no que podia
Mas não lhe quero ensinar:
Nem a ler,
Nem a contar,
Nem que requinte a mentir.
Depois - mas depressa,
Não lhe desponte um vislumbre
De lucidez na cabeça -
.......................

Reinaldo Ferreira

Imagem retirada do Google

3 comentários:

Paula Raposo disse...

Gostei. Beijos.

Fatyly disse...

Não conhecia e li, reli e voltei a ler. Como seria bom que muitos continuassem a ser "simplesmente meninos".

Beijos e um bom dia

José Rui Fernandes disse...

Haja lugar no nosso coração e o Menino nunca estará só... e nós muito menos!

Cumprimentos,
José Rui