quarta-feira, dezembro 04, 2013

Dança



Eram a delicadeza, a graça.
Mas também a fúria
da gataria ardendo nos telhados.

São jovens e dançam – formosos
como as dunas, os trigos, os cavalos.


Eugénio De Andrade

Imagem retirada do Google

2 comentários:

Observador disse...

Aprecio imenso a dança.

Bjs

Fatyly disse...

Este poeta brincava e dançava com as palavras de uma forma soberba.

Beijocas