quinta-feira, janeiro 30, 2014

Last blues, to be read Someday


Foi só um flirt
e sabias, claro 
-
alguém foi ferido
há muito tempo.

Mas nada mudou
o tempo passou 
-
um dia chegaste
um dia morrerás.

Alguém morreu
há muito tempo -
alguém que queria
mas não sabia.
 Cesare Pavese
Imagem retirada do Google

domingo, janeiro 26, 2014

Parabéns Fatyly

"Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

Vinicius de Moraes

Aquarela



Isto tudo para ti, minha querida amiga Fatyly, com muitos parabéns:)

sábado, janeiro 25, 2014

A grande Inteligência é sobreviver



A grande Inteligência é sobreviver.
As tartarugas portanto não são teimosas nem lentas, dominam;
SIM, a ciência.
Toda a tecnologia é quase inútil e estúpida,
porque a artesanal tartaruga,
a espontânea TARTARUGA,
permanece sobre a terra mais anos que o homem.
Portanto,
como a grande inteligência é sobreviver,
a tartaruga é Filósofa e Laboratório,
e o Homem que já foi Rei da criação
não passa, afinal, de um crustáceo FALSO,
um lavagante pedante;
um animal de cabeça dura. Ponto. 


Gonçalo M. Tavares

Imagem retirada do Google

quinta-feira, janeiro 23, 2014

Computador no lixo



Eis um computador 
no lixo. E todavia 
o crânio de lata teve memória dentro 
– gigabytes dela! –, 
fez as quatro operações, 
aceitou versos 
no seu imaculado 
branco virtual. 

Agora já não soma 
nem subtrai, 
nem geme poemas, nem sublinha 
erros de ortografia. 
Os pingos de solda, precários 
neurónios de metal, 
perderam a memória. 

Já que te antecipaste, 
companheiro, 
diz-me como é não funcionar. 

E se a ferrugem dói.


A. M. Pires Cabral

Imagem retirada do Google

terça-feira, janeiro 21, 2014

Da voz das coisas



Só a rajada de vento 
dá o som lírico 
às pás do moinho.

Somente as coisas tocadas 
pelo amor das outras 
têm voz.


 Fiama Hasse Pais Brandão

Imagem retirada do Google

domingo, janeiro 19, 2014

Pudesse eu



Pudesse eu não ter laços nem limites
Oh vida de mil faces transbordantes
P'ra poder responder aos Teus convites
Suspensos na surpresa dos instantes.


Sophia de Mello Breyner Andresen

Imagem retirada do google

sexta-feira, janeiro 17, 2014

Nos olhos de Isa a chuva grita e a noite



Nos olhos de Isa a chuva grita e a noite
          Acende fogueiras.

          Os  meus olhos param. Nos olhos de Isa.

Oh, nos olhos de Isa espreguiça-se a madrugada
E o vento acorda para ajudar os pássaros a voar
E as árvores a acenar-lhes uma bandeira de folhas, uma tristeza verde.

Nos olhos de Isa.

Nos olhos de Isa a manhã explode num inferno de estrelas,
Num clarão de silêncio, em estilhaços de rosas, pétalas de sombra.

Nos olhos de Isa os poetas vagueiam num bosque de mel
Onde as abelhas constroem a tarde
Desesperadamente.
Nos olhos de Isa ninguém repara na minha solidão.

         Joaquim Pessoa

         Imagem retirada do Google 

quarta-feira, janeiro 15, 2014

O Velho e a Flor




Por céus e mares eu andei
Vi um poeta e vi um rei
Na esperança de saber o que é o amor
Ninguém sabia me dizer
E eu já queria até morrer
Quando um velhinho com uma flor assim falou


O amor é o carinho
É o espinho que não se vê em cada flor
É a vida quando
Chega sangrando
Aberta em pétalas de amor
Vinicius de Moraes
Imagem retirada do Google

segunda-feira, janeiro 13, 2014

sexta-feira, janeiro 10, 2014

domingo, janeiro 05, 2014

O Homem do Saco


Era um homem paciente
que, em jovem, gastava os dias de verão
a erguer cidades-lego
enquanto os amigos povoavam as areias.

Adulto, na paz caseira 
armava puzzles com dois metros quadrados
para não perturbar a esposa
que coleccionava novelas.

Um dia, quando o fim se aproximou
ouviram a sua voz como um murmúrio,
-Deus, o que farás
com os minhas peças?

Manuel Filipe, in "Paciência"

Imagem retirada do Google

quarta-feira, janeiro 01, 2014

2014!





Foto:Isabel Cruz

Desejo a todos um excelente 2014!